Blog – Zocka http://www.zocka.com.br Hospedagem de Sites e Servidores. Fri, 20 Jul 2018 19:03:25 +0000 pt-BR hourly 1 Meus emails deixaram de funcionar e agora Zocka? http://www.zocka.com.br/2018/07/meus-emails-deixaram-de-funcionar-e-agora-zocka/ Fri, 20 Jul 2018 19:03:25 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1798 Quando o serviço de email deixa de funcionar corretamente é importante considerar alguns pontos: 1 – Se você está recebendo aviso de erro de quota quando tenta acessar via webmail, provavelmente seu usuário ou o espaço em disco do serviço contratado está utilizando 100% da capacidade de armazenamento. Neste caso, se você tiver conhecimento técnico, poderá tentar baixar os emails via outlook ou thunderbird por exemplo com protocolo POP (sem deixar cópia dos emails no servidor), mas esse procedimento apaga os emails do servidor, por isso recomendamos que esse procedimento seja feito somente por quem tiver conhecimento técnico. 2 – Se você recebe erro de autenticação quando tenta acessar o email via webmail, outlook ou thunderbird pode ser que esse problema tenha relação com senha errada, neste caso é importante informar que geralmente o servidor tem mecanismos de segurança para bloquear o IP caso fique insistindo no acesso com dados não autorizado, neste caso o ideal seria entrar em contato com o suporte e verificar o problema de autenticação (reportar o problema com detalhes e enviar print, muitas vezes acelera o processo de resolução do problema). 3 – Ao tentar acessar o webmail, você recebe uma msg de página fora do ar, quando isso acontece geralmente recomendamos tentar o acesso de duas formas: webmail.meusite.com.br e www.meusite.com.br/webmail Se não funcionar mesmo assim, o recomendado a fazer é tentar acessar o próprio site  e verificar se o site está online, caso negativo, verifique se existe alguma pendência financeira (seja com o serviço de hospedagem ou com a renovação do domínio). Verifique  se outros sites funcionam. Podem existir outras razões para o email deixar de funcionar, mas esses problemas relacionados acima, são uns dos problemas mais comuns.

The post Meus emails deixaram de funcionar e agora Zocka? appeared first on Zocka.

]]>
Quando o serviço de email deixa de funcionar corretamente é importante considerar alguns pontos:
1 – Se você está recebendo aviso de erro de quota quando tenta acessar via webmail, provavelmente seu usuário ou o espaço em disco do serviço contratado está utilizando 100% da capacidade de armazenamento.
Neste caso, se você tiver conhecimento técnico, poderá tentar baixar os emails via outlook ou thunderbird por exemplo com protocolo POP (sem deixar cópia dos emails no servidor), mas esse procedimento apaga os emails do servidor, por isso recomendamos que esse procedimento seja feito somente por quem tiver conhecimento técnico.
2 – Se você recebe erro de autenticação quando tenta acessar o email via webmail, outlook ou thunderbird pode ser que esse problema tenha relação com senha errada, neste caso é importante informar que geralmente o servidor tem mecanismos de segurança para bloquear o IP caso fique insistindo no acesso com dados não autorizado, neste caso o ideal seria entrar em contato com o suporte e verificar o problema de autenticação (reportar o problema com detalhes e enviar print, muitas vezes acelera o processo de resolução do problema).
3 – Ao tentar acessar o webmail, você recebe uma msg de página fora do ar, quando isso acontece geralmente recomendamos tentar o acesso de duas formas:
Se não funcionar mesmo assim, o recomendado a fazer é tentar acessar o próprio site  e verificar se o site está online, caso negativo, verifique se existe alguma pendência financeira (seja com o serviço de hospedagem ou com a renovação do domínio).
Verifique  se outros sites funcionam.
Podem existir outras razões para o email deixar de funcionar, mas esses problemas relacionados acima, são uns dos problemas mais comuns.

The post Meus emails deixaram de funcionar e agora Zocka? appeared first on Zocka.

]]>
Encaminhar meus emails para Gmail, Outlook ou configurar neles? http://www.zocka.com.br/2018/07/encaminhar-meus-emails-para-gmail-outlook-ou-configurar-neles/ Tue, 10 Jul 2018 03:37:25 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1793 O encaminhamento de email é um recurso simples e muito utilizado. Em nossos servidores temos uma grande percentagem de clientes que utilizam esse recurso. A utilização em nossos servidores compartilhados com cpanel por exemplo consiste basicamente em acessar o cpanel, navegar até a categoria “Email” e clicar na ferramenta “Encaminhadores” Na tela seguinte você tem duas opções: 1 – Adicionar encaminhamento: Que vai informar o seu email e para qual email deseja encaminhar. 2 – Adicionar encaminhamento de domínio: Nessa opção, você pode utilizar um domínio (.com) por exemplo e quando alguém  enviar emails para qualquer endereço do seu site .com, será encaminhado para a conta correspondente do .com.br por exemplo… A configuração é relativamente simples e intuitiva. O problema desse recurso está relacionado a recebimento de spam (como sempre). Quando a conta de email recebe muito spam, ela vai encaminhar todas essas mensagens indesejadas ao email do Gmail ou Outlook que você configurou. O servidor do Gmail, Outlook ou qualquer outro que você fizer o encaminhamento, vai fazer uma avaliação desses spams que você está encaminhando para eles e em algum momento vai fazer um bloqueio temporário. Consequentemente você vai deixar de receber os emails do encaminhamento por um período. Neste caso, se você realmente deseja ler seus emails na plataforma do Gmail, Outlook ou outro provedor gratuito de email (as vezes por conveniência), recomendamos que configure sua conta de email no painel deles… Esse link deve auxiliar a configurar a conta de email diretamente no Gmail: https://support.google.com/mail/answer/21289?co=GENIE.Platform%3DDesktop&hl=pt-BR Esse link deve auxiliar a configurar a conta de email diretamente no outlook.com: https://support.office.com/pt-br/article/configurações-pop-imap-e-smtp-para-outlook-com-d088b986-291d-42b8-9564-9c414e2aa040 Geralmente esses provedores de emails gratuitos permitem a configuração do email com POP e mantendo cópia no servidor de origem. Essa configuração resolve esse transtorno dos eventuais problemas de redirecionamento do ip do servidor por envio constante de spam para o servidor deles… Uma alternativa, seria ativar o filtro de spam. Em servidores cpanel é muito comum você ter o spamassassin, que pode ser ativado de forma relativamente simples: Acesse o cpanel, navegue até a categoria “Email”, clique na ferramenta “Filtro de Spam”. Na tela seguinte, você deve ativar o filtro de spam e remover spam automaticamente… Com essa configuração básica, parte dos spams já devem ser filtrados e isso deverá auxiliá-lo com eventuais problemas decorrentes do encaminhamento de emails.

The post Encaminhar meus emails para Gmail, Outlook ou configurar neles? appeared first on Zocka.

]]>
O encaminhamento de email é um recurso simples e muito utilizado.
Em nossos servidores temos uma grande percentagem de clientes que utilizam esse recurso.
A utilização em nossos servidores compartilhados com cpanel por exemplo consiste basicamente em acessar o cpanel, navegar até a categoria “Email” e clicar na ferramenta “Encaminhadores”
Na tela seguinte você tem duas opções:
1 – Adicionar encaminhamento: Que vai informar o seu email e para qual email deseja encaminhar.
2 – Adicionar encaminhamento de domínio: Nessa opção, você pode utilizar um domínio (.com) por exemplo e quando alguém  enviar emails para qualquer endereço do seu site .com, será encaminhado para a conta correspondente do .com.br por exemplo…
A configuração é relativamente simples e intuitiva.
O problema desse recurso está relacionado a recebimento de spam (como sempre).
Quando a conta de email recebe muito spam, ela vai encaminhar todas essas mensagens indesejadas ao email do Gmail ou Outlook que você configurou.
O servidor do Gmail, Outlook ou qualquer outro que você fizer o encaminhamento, vai fazer uma avaliação desses spams que você está encaminhando para eles e em algum momento vai fazer um bloqueio temporário.
Consequentemente você vai deixar de receber os emails do encaminhamento por um período.
Neste caso, se você realmente deseja ler seus emails na plataforma do Gmail, Outlook ou outro provedor gratuito de email (as vezes por conveniência), recomendamos que configure sua conta de email no painel deles…
Esse link deve auxiliar a configurar a conta de email diretamente no Gmail:
Esse link deve auxiliar a configurar a conta de email diretamente no outlook.com:
Geralmente esses provedores de emails gratuitos permitem a configuração do email com POP e mantendo cópia no servidor de origem.
Essa configuração resolve esse transtorno dos eventuais problemas de redirecionamento do ip do servidor por envio constante de spam para o servidor deles…
Uma alternativa, seria ativar o filtro de spam.
Em servidores cpanel é muito comum você ter o spamassassin, que pode ser ativado de forma relativamente simples:
Acesse o cpanel, navegue até a categoria “Email”, clique na ferramenta “Filtro de Spam”.
Na tela seguinte, você deve ativar o filtro de spam e remover spam automaticamente…
Com essa configuração básica, parte dos spams já devem ser filtrados e isso deverá auxiliá-lo com eventuais problemas decorrentes do encaminhamento de emails.

The post Encaminhar meus emails para Gmail, Outlook ou configurar neles? appeared first on Zocka.

]]>
Migrar para um servidor VPS ou manter Hospedagem Compartilhada? http://www.zocka.com.br/2018/07/migrar-para-um-servidor-vps-ou-manter-hospedagem-compartilhada/ Tue, 03 Jul 2018 02:45:50 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1789 Essa é uma dúvida bastante recorrente, muitos clientes tem interesse na migração do ambiente compartilhado para um servidor vps (sem gerenciamento) que geralmente tem um custo atrativo… Geralmente o servidor vps tem um custo maior que o serviço em ambiente compartilhado, mas ainda sim tem um valor interessante… Apesar disso, nem sempre essa mudança vale a pena para o cliente, pois não trata-se necessariamente de um upgrade. O servidor vps atende situações especificas e nem sempre atende a necessidade de clientes que precisam ficar hospedado em ambiente compartilhado. Nesse post, vou abordar apenas alguns desses detalhes. 1 – Não deve ser considerado Upgrade: Isso mesmo, não é necessariamente um upgrade e sim uma migração para um serviço diferente. Essa explicação fica mais evidente quando você pega um servidor vps sem gerenciamento que não tem nada além do sistema operacional instalado e o cliente não sabe utilizar comandos via terminal, não sabe o que é usuário root…etc 2 – vps com cpanel sem gerenciamento x servidor compartilhado com cpanel cheio de mimos… Muitos clientes acham que por padrão o cpanel já vem com aquele monte de plugin (principalmente softaculous), pois é, esse auto instalador é instalado a parte, o mesmo pode ser dito para criador de sites…E também plugins de segurança que faz varredura de upload via ftp e cgi em tempo real. 3 – painel de hospedagem do vps nem sempre é rápido como no ambiente compartilhado. O fato do vps ser virtualizado e ter restrições de hardware faz com que o desempenho dele em alguns aspectos fique inferior ao do ambiente compartilhado…Principalmente porque geralmente o ambiente compartilhado é baseado em um servidor dedicado. Existem muitos outros fatores que podem ser destacados, mas eu preferi relatar apenas esses que julgo ser os mais pontuais. Dando um exemplo até bastante recorrente,  um cliente ter interesse em sair de uma revenda compartilhada com cpanel e adquirir um servidor vps com cpanel. A ideia é boa, no entanto alguns pontos devem ser levados em consideração quando deseja fazer essa mudança (não considerar necessariamente um upgrade). Vamos aos detalhes mais específicos sobre essa mudança. Estou considerando aqui que é um servidor vps com cpanel (sem gerenciamento) que fica com valor atrativo… vps por padrão não vem com cpanel instalado e é necessário solicitar a instalação caso não saiba fazer isso…geralmente essa instalação do cpanel não tem custo. além da instalação do cpanel, ele precisa ser configurado para oferecer um equilíbrio de desempenho x segurança. como informei acima, o cpanel não tem plugins instalados e após a instalação é conveniente instalar um firewall, um auto-instalador, ativar um antivírus, e monitoramento…parte desses plugins são comerciais e são pagos isso pode acabar deixando o servidor vps com um valor relativamente alto… o espaço em disco do servidor vps cria uma expectativa falsa, pois se for instalar cpanel por exemplo você vai precisar habilitar uma rotina de backup, realizar backups semanalmente e mensalmente é básico…com isso, você deve multiplicar por três o consumo dos seus dados, e infelizmente não é só isso, recentemente o cpanel alterou a forma como o backup é gerado, ele primeiro conclui todo o backup e somente depois do backup concluído remove o mais antigo, isso faz com que uma rotina de backup semanal e mensal necessite de “quatro” vezes o espaço em disco consumido… ter conhecimento técnico para resolver problemas básicos com usuário root…continuando com esse exemplo do cpanel, por tratar-se de um painel de hospedagem pago e com um suporte muito bom, as vezes problemas acontecem e ter conhecimento básico para resolver problemas é necessário…Se não souber como resolver poderá abrir ticket no suporte do cpanel, mas nem sempre o problema poderá ser resolvido rapidamente. Esses são alguns detalhes que estou destacando que faz com que o ambiente compartilhado tenha vantagem para situações em que o cliente deseja migrar para um servidor vps. Em breve, vamos publicar o oposto dessa situação e tentarmos mostrar quais são os benefícios de fazer essa mudança de ambiente compartilhado para um servidor vps e um servidor dedicado.

The post Migrar para um servidor VPS ou manter Hospedagem Compartilhada? appeared first on Zocka.

]]>
Essa é uma dúvida bastante recorrente, muitos clientes tem interesse na migração do ambiente compartilhado para um servidor vps (sem gerenciamento) que geralmente tem um custo atrativo…
Geralmente o servidor vps tem um custo maior que o serviço em ambiente compartilhado, mas ainda sim tem um valor interessante…
Apesar disso, nem sempre essa mudança vale a pena para o cliente, pois não trata-se necessariamente de um upgrade.
O servidor vps atende situações especificas e nem sempre atende a necessidade de clientes que precisam ficar hospedado em ambiente compartilhado.
Nesse post, vou abordar apenas alguns desses detalhes.
1 – Não deve ser considerado Upgrade: Isso mesmo, não é necessariamente um upgrade e sim uma migração para um serviço diferente.
Essa explicação fica mais evidente quando você pega um servidor vps sem gerenciamento que não tem nada além do sistema operacional instalado e o cliente não sabe utilizar comandos via terminal, não sabe o que é usuário root…etc
2 – vps com cpanel sem gerenciamento x servidor compartilhado com cpanel cheio de mimos…
Muitos clientes acham que por padrão o cpanel já vem com aquele monte de plugin (principalmente softaculous), pois é, esse auto instalador é instalado a parte, o mesmo pode ser dito para criador de sites…E também plugins de segurança que faz varredura de upload via ftp e cgi em tempo real.
3 – painel de hospedagem do vps nem sempre é rápido como no ambiente compartilhado.
O fato do vps ser virtualizado e ter restrições de hardware faz com que o desempenho dele em alguns aspectos fique inferior ao do ambiente compartilhado…Principalmente porque geralmente o ambiente compartilhado é baseado em um servidor dedicado.
Existem muitos outros fatores que podem ser destacados, mas eu preferi relatar apenas esses que julgo ser os mais pontuais.
Dando um exemplo até bastante recorrente,  um cliente ter interesse em sair de uma revenda compartilhada com cpanel e adquirir um servidor vps com cpanel.
A ideia é boa, no entanto alguns pontos devem ser levados em consideração quando deseja fazer essa mudança (não considerar necessariamente um upgrade).
Vamos aos detalhes mais específicos sobre essa mudança.
Estou considerando aqui que é um servidor vps com cpanel (sem gerenciamento) que fica com valor atrativo…
  • vps por padrão não vem com cpanel instalado e é necessário solicitar a instalação caso não saiba fazer isso…geralmente essa instalação do cpanel não tem custo.
  • além da instalação do cpanel, ele precisa ser configurado para oferecer um equilíbrio de desempenho x segurança.
  • como informei acima, o cpanel não tem plugins instalados e após a instalação é conveniente instalar um firewall, um auto-instalador, ativar um antivírus, e monitoramento…parte desses plugins são comerciais e são pagos isso pode acabar deixando o servidor vps com um valor relativamente alto…
  • o espaço em disco do servidor vps cria uma expectativa falsa, pois se for instalar cpanel por exemplo você vai precisar habilitar uma rotina de backup, realizar backups semanalmente e mensalmente é básico…com isso, você deve multiplicar por três o consumo dos seus dados, e infelizmente não é só isso, recentemente o cpanel alterou a forma como o backup é gerado, ele primeiro conclui todo o backup e somente depois do backup concluído remove o mais antigo, isso faz com que uma rotina de backup semanal e mensal necessite de “quatro” vezes o espaço em disco consumido…
  • ter conhecimento técnico para resolver problemas básicos com usuário root…continuando com esse exemplo do cpanel, por tratar-se de um painel de hospedagem pago e com um suporte muito bom, as vezes problemas acontecem e ter conhecimento básico para resolver problemas é necessário…Se não souber como resolver poderá abrir ticket no suporte do cpanel, mas nem sempre o problema poderá ser resolvido rapidamente.
Esses são alguns detalhes que estou destacando que faz com que o ambiente compartilhado tenha vantagem para situações em que o cliente deseja migrar para um servidor vps.
Em breve, vamos publicar o oposto dessa situação e tentarmos mostrar quais são os benefícios de fazer essa mudança de ambiente compartilhado para um servidor vps e um servidor dedicado.

The post Migrar para um servidor VPS ou manter Hospedagem Compartilhada? appeared first on Zocka.

]]>
Utilizar resposta automatica do cpanel ajuda ou atrapalha? http://www.zocka.com.br/2018/06/utilizar-resposta-automatica-do-cpanel-ajuda-ou-atrapalha/ Thu, 21 Jun 2018 02:26:52 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1786 Nossos servidores utilizam como plataforma principal de hospedagem o cpanel, pois é um painel de hospedagem profissional com recursos intuitivos e completo. Dentre as ferramentas do cpanel, temos um recurso bastante interessante que é a resposta automática. Sua função é fazer sua conta de email responder automaticamente sobre férias ou ausência temporária por exemplo… Para utilizar esse recurso é muito simples, basta fazer login no cpanel, navegar até a categoria “Email” e clicar na opção “Resposta Automática” OBS: Nem sempre a tradução vai estar simples assim, poderá encontrar por exemplo escrito “Respondente Automáticos” A pagina de configuração é relativamente intuitiva, recomendo concentrar-se apenas nesses detalhes: Intervalo: Intervalo em horas que a resposta automática será enviada para um mesmo endereço de email. Email e domínio: Informar a conta de email que vai utilizar a resposta automática. De: Você pode personalizar o remetente. Assunto: Será o assunto do email que a pessoa vai receber dessa resposta automática (exemplo: Estou ausente até dia XX) Corpo: Será a mensagem que deseja enviar como resposta automática… OBS: Se você tiver conhecimento, poderá enviar formatado com código html, para isso basta habilitar esse recurso no checkbox e colar o código html no campo do corpo… Depois disso poderá informar o inicio e fim do uso. Pronto, basta clicar no botão “Criar” Como informei acima, trata-se de um ótimo recurso do cpanel, mas entenda porque não é um recurso muito bom principalmente sendo utilizado por muito tempo… Entenda o problema: A resposta automática será enviada para qualquer email recebido, sendo assim, se você recebe muito spam saiba que todo email recebido será respondido pela resposta automática. Com isso, dois problemas são desencadeados; 1 – A cada email respondido, seu email é incluído em uma lista nova de spam. 2 – A cada email respondido e que falha (pois muitas vezes o email do remetente do spammer não existe…você pode ser penalizado com a reputação e/ou com o sistema de segurança do servidor. Quando o spammer tem um endereço valido de email, geralmente sua conta é inclusa em várias outras listas de emails, consequentemente você passa a receber mais spams dia após dia… E quando o endereço de email do spammer não existe, sua resposta automática falha e isso pode causar alguns problemas. Por exemplo, se o seu servidor tiver um sistema de segurança para prevenção de spam, seu domínio seria punido por fazer envio recorrente para endereços inexistentes (o servidor interpreta que você é um spammer). Se você realmente precisa utilizar a resposta automática, você pode tentar diminuir esses impactos utilizando algum filtro anti-spam. Em servidores cpanel é muito comum você ter o spamassassin, que pode ser ativado de forma relativamente simples: Acesse o cpanel, navegue até a categoria “Email”, clique na ferramenta “Filtro de Spam” Na tela seguinte, você ativar o filtro de spam e remover spam automaticamente… Com essa configuração básica, parte dos spams já devem ser filtrados e isso deverá auxiliá-lo com eventuais problemas decorrente da resposta automática.

The post Utilizar resposta automatica do cpanel ajuda ou atrapalha? appeared first on Zocka.

]]>
Nossos servidores utilizam como plataforma principal de hospedagem o cpanel, pois é um painel de hospedagem profissional com recursos intuitivos e completo.
Dentre as ferramentas do cpanel, temos um recurso bastante interessante que é a resposta automática.
Sua função é fazer sua conta de email responder automaticamente sobre férias ou ausência temporária por exemplo…
Para utilizar esse recurso é muito simples, basta fazer login no cpanel, navegar até a categoria “Email” e clicar na opção “Resposta Automática”
OBS: Nem sempre a tradução vai estar simples assim, poderá encontrar por exemplo escrito “Respondente Automáticos”
A pagina de configuração é relativamente intuitiva, recomendo concentrar-se apenas nesses detalhes:
Intervalo: Intervalo em horas que a resposta automática será enviada para um mesmo endereço de email.
Email e domínio: Informar a conta de email que vai utilizar a resposta automática.
De: Você pode personalizar o remetente.
Assunto: Será o assunto do email que a pessoa vai receber dessa resposta automática (exemplo: Estou ausente até dia XX)
Corpo: Será a mensagem que deseja enviar como resposta automática…
OBS: Se você tiver conhecimento, poderá enviar formatado com código html, para isso basta habilitar esse recurso no checkbox e colar o código html no campo do corpo…
Depois disso poderá informar o inicio e fim do uso.
Pronto, basta clicar no botão “Criar”
Como informei acima, trata-se de um ótimo recurso do cpanel, mas entenda porque não é um recurso muito bom principalmente sendo utilizado por muito tempo…
Entenda o problema:
A resposta automática será enviada para qualquer email recebido, sendo assim, se você recebe muito spam saiba que todo email recebido será respondido pela resposta automática.
Com isso, dois problemas são desencadeados;
1 – A cada email respondido, seu email é incluído em uma lista nova de spam.
2 – A cada email respondido e que falha (pois muitas vezes o email do remetente do spammer não existe…você pode ser penalizado com a reputação e/ou com o sistema de segurança do servidor.
Quando o spammer tem um endereço valido de email, geralmente sua conta é inclusa em várias outras listas de emails, consequentemente você passa a receber mais spams dia após dia…
E quando o endereço de email do spammer não existe, sua resposta automática falha e isso pode causar alguns problemas.
Por exemplo, se o seu servidor tiver um sistema de segurança para prevenção de spam, seu domínio seria punido por fazer envio recorrente para endereços inexistentes (o servidor interpreta que você é um spammer).
Se você realmente precisa utilizar a resposta automática, você pode tentar diminuir esses impactos utilizando algum filtro anti-spam.
Em servidores cpanel é muito comum você ter o spamassassin, que pode ser ativado de forma relativamente simples:
Acesse o cpanel, navegue até a categoria “Email”, clique na ferramenta “Filtro de Spam”
Na tela seguinte, você ativar o filtro de spam e remover spam automaticamente…
Com essa configuração básica, parte dos spams já devem ser filtrados e isso deverá auxiliá-lo com eventuais problemas decorrente da resposta automática.

The post Utilizar resposta automatica do cpanel ajuda ou atrapalha? appeared first on Zocka.

]]>
Revenda de Hospedagem: vale a pena? da Dinheiro? http://www.zocka.com.br/2018/06/revenda-de-hospedagem-vale-a-pena-da-dinheiro/ Wed, 13 Jun 2018 17:53:55 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1783 São muitos os benefícios para quem revende hospedagem de sites, para os Webdesigners por exemplo: Poder oferecer esta opção para os seus clientes, tornando seu trabalho mais atraente, na maioria das vezes o cliente é leigo, e não faz ideia de que além do site ele precisará ter um serviço de hospedagem, e aí surgem muitas dúvidas, o que é hospedagem? Quem contratar? Como contratar? Os clientes não querem estes transtornos, e sim soluções rápidas para ver seu site funcionando e não se incomodam em pagar pelo serviço. Se você tem conhecimento técnico para empreender, poderá contratar um serviço de revenda de hospedagem com um custo relativamente baixo podendo assim assim oferecer um pacote para o seu cliente com vencimentos mensais ou outro ciclo de pagamento que lhe for conveniente. Geralmente webdesigners podem elaborar diversos pacotes como: Desenvolvimento de sites e serviço de hospedagem + emails, e quando finaliza o desenvolvimento do site continua ganhando dinheiro através do valor mensal cobrado pelo serviço de hospedagem e de emails, criando um vínculo com o cliente, e não será esquecido quando este cliente decidir atualizar o site. É muito importante lembrar que um bom serviço de revenda de hospedagem, precisa ter um ótimo uptime, manter serviços de e-mails com qualidade profissional, ftp e http estáveis e que seja monitorado, além do suporte técnico que deve sempre auxiliar o cliente com eficiência e no menor tempo possível. Se você acredita que pode empreender dessa forma, recomendamos que contrate sua Revenda de Hospedagem Linux agora mesmo, acesse o site zocka.com.br e comece a ganhar dinheiro!

The post Revenda de Hospedagem: vale a pena? da Dinheiro? appeared first on Zocka.

]]>
São muitos os benefícios para quem revende hospedagem de sites, para os Webdesigners por exemplo:

Poder oferecer esta opção para os seus clientes, tornando seu trabalho mais atraente, na maioria das vezes o cliente é leigo, e não faz ideia de que além do site ele precisará ter um serviço de hospedagem, e aí surgem muitas dúvidas, o que é hospedagem? Quem contratar? Como contratar?
Os clientes não querem estes transtornos, e sim soluções rápidas para ver seu site funcionando e não se incomodam em pagar pelo serviço.

Se você tem conhecimento técnico para empreender, poderá contratar um serviço de revenda de hospedagem com um custo relativamente baixo podendo assim assim oferecer um pacote para o seu cliente com vencimentos mensais ou outro ciclo de pagamento que lhe for conveniente.

Geralmente webdesigners podem elaborar diversos pacotes como: Desenvolvimento de sites e serviço de hospedagem + emails, e quando finaliza o desenvolvimento do site continua ganhando dinheiro através do valor mensal cobrado pelo serviço de hospedagem e de emails, criando um vínculo com o cliente, e não será esquecido quando este cliente decidir atualizar o site.

É muito importante lembrar que um bom serviço de revenda de hospedagem, precisa ter um ótimo uptime, manter serviços de e-mails com qualidade profissional, ftp e http estáveis e que seja monitorado, além do suporte técnico que deve sempre auxiliar o cliente com eficiência e no menor tempo possível.

Se você acredita que pode empreender dessa forma, recomendamos que contrate sua Revenda de Hospedagem Linux agora mesmo, acesse o site zocka.com.br e comece a ganhar dinheiro!

The post Revenda de Hospedagem: vale a pena? da Dinheiro? appeared first on Zocka.

]]>
Suporte via WhatsApp for Business http://www.zocka.com.br/2018/01/suporte-via-whatsapp-for-business/ Thu, 25 Jan 2018 01:37:27 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1778 Para estreitar ainda mais a relação com nossos clientes. Estamos atendendo também (em fase beta) via WhatsApp Business. (19) 999105311 – Piracicaba-SP O atendimento será feito via mensagem de texto. Basta enviar sua mensagem e aguardar o suporte. OBS IMPORTANTE: Solicitações de dados de acesso de servidor e/ou informações sigilosas só poderão ser enviadas para emails de cadastro em nosso painel de cliente.

The post Suporte via WhatsApp for Business appeared first on Zocka.

]]>
Para estreitar ainda mais a relação com nossos clientes.

Estamos atendendo também (em fase beta) via WhatsApp Business.

(19) 999105311 – Piracicaba-SP

O atendimento será feito via mensagem de texto.

Basta enviar sua mensagem e aguardar o suporte.

OBS IMPORTANTE: Solicitações de dados de acesso de servidor e/ou informações sigilosas só poderão ser enviadas para emails de cadastro em nosso painel de cliente.

The post Suporte via WhatsApp for Business appeared first on Zocka.

]]>
Erebus Ransomware e o impacto em servidores linux http://www.zocka.com.br/2017/06/erebus-ransomware-e-o-impacto-em-servidores-linux/ Wed, 21 Jun 2017 04:00:46 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1771 Em 10 de junho, a empresa de hospedagem NAYANA  que está localizada na Coréia do Sul tornou-se uma das mais recentes vítimas de do Ransomware Erebus. 153 de seus servidores Linux foram infectados com uma variante do Ransomware Eresbus (detectada pela Trend Micro como RANSOM_ELFEREBUS.A). O ataque do ransomware afetou os sites, banco de dados e arquivos multimídia de cerca de 3.400 empresas que estavam hospedados nos servidores de hospedagem da NAYANA. No último aviso publicado no site da empresa, parece que os cibercriminosos obrigaram NAYANA a pagar o resgate, eles pagaram o primeiro dos três pagamentos que eles planejam fazer para todas as chaves necessárias para descriptografar os arquivos infectados. No entanto, NAYANA ainda não recebeu a primeira chave de descriptografia. O Eresbus Ransomware ( RANSOM_EREBUS.A ) surgiu em setembro de 2016 sendo distribuído por propagandas (propagandas maliciosas). Os anúncios maliciosos desviaram vítimas para o kit Rig exploit , que infecta os sistemas da vítima com o Ransomware. Esta variante Erebus tem como alvo 423 tipos de arquivos, codifica arquivos com algoritmo de criptografia RSA-2048 e anexa os arquivos afetados com a extensão .ecrypt. Esta versão do Erebus foi observada usando sites comprometidos na Coréia do Sul como seus servidores de comando e controle (C & C). Em fevereiro de 2017, Erebus descobriu que evoluiu e mudou de tática , usando uma técnica que ignora o Controle de Conta de Usuário (UAC) – um recurso do Windows que ajuda a evitar mudanças não autorizadas no sistema – para executar o ransomware com privilégios elevados. Em sua nota de resgate, o Erebus ameaça excluir os arquivos da vítima dentro de 96 horas, a menos que o resgate seja pago. Esta versão (RANSOM_EREBUS.TOR) também exclui backups para evitar que as vítimas recuperem seus arquivos. Erebus Ransomware agora pode infectar servidores A variante que infectou os servidores da NAYANA é o ransomware Erebus portado para servidores Linux. A análise contínua da Trend Micro indica que esta versão usa o algoritmo RSA para criptografar chaves AES; Os arquivos infectados são criptografados com chaves AES exclusivas. Seus mecanismos de persistência incluem a adição de um falso serviço Bluetooth para garantir que o ransomware seja executado mesmo após o sistema ou o servidor ser reiniciado. Ele também emprega o utilitário UNIX cron-a em sistemas operacionais semelhantes a Unix, como o Linux, que agende tarefas por meio de comandos ou scripts de shell – para verificar a cada hora se o ransomware estiver sendo executado. Semelhante ao caso de NAYANA. Esta iteração do Erebus visa 433 tipos de arquivos, alguns dos quais incluem: Documentos do Office (.pptx, .docx, .xlsx) Bancos de dados (.sql, .mdb, .dbf, .odb) Arquivos (.zip, .rar) Arquivos de e-mail (.eml, .msg) Arquivos de projetos relacionados ao site e ao desenvolvedor (.html, .css, .php, .java) Arquivos multimídia (.avi, .mp4) O Erebus não é o primeiro malware criptografador de arquivos direcionados a sistemas Linux, ou mesmo servidores. Linux. O ransomware Linux surgiu em 2014 e foram ramificações de projetos de código aberto supostamente concebidos para fins educacionais. SAMSAM, Petya e Crysis ransomware são apenas algumas conhecidas variaveis por atingir e quebrar segurança de servidores. Enquanto o Linux ransomware não está tão estabelecido ou maduro como o ransomware no Windows, eles ainda podem apresentar um impacto significativo para usuários e especialmente para empresas. Como exemplificado pela NAYANA, o Linux é um sistema operacional muito popular no segmento de servidores. O impacto do ransomware como o Erebus , destaca a importância de proteger os servidores e desktops. Aqui estão algumas das melhores práticas que os administradores de TI e os profissionais de segurança da informação podem adotar para proteger seu sistema. Mantenha o sistema operacional e o servidor atualizado. Uma política de gerenciamento de patches forte deve ser aplicada para garantir que o sistema e o servidor tenham os últimos patches, correções e kernel. Evite ou minimize a adição de repositórios ou pacotes de terceiros ou desconhecidos. Isso limita as vulnerabilidades que os invasores podem usar como pontos de entrada no servidor ou no sistema. Os riscos podem diminuir ainda mais ao remover ou desabilitar componentes ou serviços desnecessários no servidor. Aplique o princípio do mínimo privilégio. Restringir permissões / privilégios também ajuda a mitigar a exposição e outros danos, além de impedir o uso não autorizado. Proteger a rede contra ameaças é uma obrigação para qualquer empresa. A implantação de sistemas de detecção e prevenção de intrusão e firewalls ajuda a identificar, filtrar e bloquear o tráfego, o que pode indicar uma infecção por malware. Por fim, o bom e velho backup…faça backup de seus arquivos (principalmente backup externo). Fonte original da noticia: https://www.trendmicro.com/vinfo/us/security/news/cyber-attacks/erebus-linux-ransomware-impact-to-servers-and-countermeasures

The post Erebus Ransomware e o impacto em servidores linux appeared first on Zocka.

]]>
Em 10 de junho, a empresa de hospedagem NAYANA  que está localizada na Coréia do Sul tornou-se uma das mais recentes vítimas de do Ransomware Erebus.

153 de seus servidores Linux foram infectados com uma variante do Ransomware Eresbus (detectada pela Trend Micro como RANSOM_ELFEREBUS.A). O ataque do ransomware afetou os sites, banco de dados e arquivos multimídia de cerca de 3.400 empresas que estavam hospedados nos servidores de hospedagem da NAYANA.

No último aviso publicado no site da empresa, parece que os cibercriminosos obrigaram NAYANA a pagar o resgate, eles pagaram o primeiro dos três pagamentos que eles planejam fazer para todas as chaves necessárias para descriptografar os arquivos infectados. No entanto, NAYANA ainda não recebeu a primeira chave de descriptografia.

O Eresbus Ransomware ( RANSOM_EREBUS.A ) surgiu em setembro de 2016 sendo distribuído por propagandas (propagandas maliciosas). Os anúncios maliciosos desviaram vítimas para o kit Rig exploit , que infecta os sistemas da vítima com o Ransomware. Esta variante Erebus tem como alvo 423 tipos de arquivos, codifica arquivos com algoritmo de criptografia RSA-2048 e anexa os arquivos afetados com a extensão .ecrypt. Esta versão do Erebus foi observada usando sites comprometidos na Coréia do Sul como seus servidores de comando e controle (C & C).

Em fevereiro de 2017, Erebus descobriu que evoluiu e mudou de tática , usando uma técnica que ignora o Controle de Conta de Usuário (UAC) – um recurso do Windows que ajuda a evitar mudanças não autorizadas no sistema – para executar o ransomware com privilégios elevados. Em sua nota de resgate, o Erebus ameaça excluir os arquivos da vítima dentro de 96 horas, a menos que o resgate seja pago. Esta versão (RANSOM_EREBUS.TOR) também exclui backups para evitar que as vítimas recuperem seus arquivos.

Erebus Ransomware agora pode infectar servidores

A variante que infectou os servidores da NAYANA é o ransomware Erebus portado para servidores Linux. A análise contínua da Trend Micro indica que esta versão usa o algoritmo RSA para criptografar chaves AES; Os arquivos infectados são criptografados com chaves AES exclusivas. Seus mecanismos de persistência incluem a adição de um falso serviço Bluetooth para garantir que o ransomware seja executado mesmo após o sistema ou o servidor ser reiniciado. Ele também emprega o utilitário UNIX cron-a em sistemas operacionais semelhantes a Unix, como o Linux, que agende tarefas por meio de comandos ou scripts de shell – para verificar a cada hora se o ransomware estiver sendo executado. Semelhante ao caso de NAYANA.

Esta iteração do Erebus visa 433 tipos de arquivos, alguns dos quais incluem:

Documentos do Office (.pptx, .docx, .xlsx)
Bancos de dados (.sql, .mdb, .dbf, .odb)
Arquivos (.zip, .rar)
Arquivos de e-mail (.eml, .msg)
Arquivos de projetos relacionados ao site e ao desenvolvedor (.html, .css, .php, .java)
Arquivos multimídia (.avi, .mp4)

O Erebus não é o primeiro malware criptografador de arquivos direcionados a sistemas Linux, ou mesmo servidores. Linux.

O ransomware Linux surgiu em 2014 e foram ramificações de projetos de código aberto supostamente concebidos para fins educacionais. SAMSAM, Petya e Crysis ransomware são apenas algumas conhecidas variaveis por atingir e quebrar segurança de servidores.

Enquanto o Linux ransomware não está tão estabelecido ou maduro como o ransomware no Windows, eles ainda podem apresentar um impacto significativo para usuários e especialmente para empresas. Como exemplificado pela NAYANA, o Linux é um sistema operacional muito popular no segmento de servidores.

O impacto do ransomware como o Erebus , destaca a importância de proteger os servidores e desktops.

Aqui estão algumas das melhores práticas que os administradores de TI e os profissionais de segurança da informação podem adotar para proteger seu sistema.

Mantenha o sistema operacional e o servidor atualizado.

Uma política de gerenciamento de patches forte deve ser aplicada para garantir que o sistema e o servidor tenham os últimos patches, correções e kernel.

Evite ou minimize a adição de repositórios ou pacotes de terceiros ou desconhecidos. Isso limita as vulnerabilidades que os invasores podem usar como pontos de entrada no servidor ou no sistema.

Os riscos podem diminuir ainda mais ao remover ou desabilitar componentes ou serviços desnecessários no servidor.

Aplique o princípio do mínimo privilégio.

Restringir permissões / privilégios também ajuda a mitigar a exposição e outros danos, além de impedir o uso não autorizado.

Proteger a rede contra ameaças é uma obrigação para qualquer empresa.

A implantação de sistemas de detecção e prevenção de intrusão e firewalls ajuda a identificar, filtrar e bloquear o tráfego, o que pode indicar uma infecção por malware.

Por fim, o bom e velho backup…faça backup de seus arquivos (principalmente backup externo).

Fonte original da noticia:

https://www.trendmicro.com/vinfo/us/security/news/cyber-attacks/erebus-linux-ransomware-impact-to-servers-and-countermeasures

The post Erebus Ransomware e o impacto em servidores linux appeared first on Zocka.

]]>
Como usar o CloudFlare no Cpanel http://www.zocka.com.br/2017/01/como-usar-o-cloudflare-no-cpanel/ Tue, 03 Jan 2017 15:34:16 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1747 O CloudFlare é um serviço de CDN que faz cache dos seus dados e e distribui esse cache em vários servidores, com isso melhora o desempenho do servidor e aumenta o desempenho dos sites. Com o CloudFlare ativo os sites podem ter uma melhora no desempenho de 30%, além disso, utilizando o CloudFlare o trafego do site pode ser filtrado, diminuindo o consumo de recursos por redes e computadores zumbis… Como ativar o CloudFlare no Cpanel com Tema Paper_lanter 1 – Acesse o cpanel da conta desejada 2 – Navegue até a categoria software e clique no icone “CloudFlare” 3 – Na tela seguinte, você poderá fazer login (caso já tenha cadastro no CloudFlare) e se não tiver cadastro, basta clicar no link “Sign Up” Se você precisar fazer o cadastro é bem rápido, vai precisar apenas informar uma conta de email e senha…Se já tiver um cadastro, basta informar o email e senha e pronto. 4 – Após fazer login, você deve ativar o CloudFlare clicando no botão “Provision Domain With CNAME Setup” 5 – Depois que ativar o CloudFlare, ele já configura a zona de dns, recomendamos que ative a opção “Enable I’am Under Attack Mode”, isso deve filtrar eventuais ataques e diminuir o consumo excessivo de recursos do site. Após 24 horas ativado, você poderá verificar as estatísticas de acesso. Poderá obter mais informações sobre o uso do CloudFlare nesse Link (Em inglês): https://blog.cloudflare.com/cloudflare-tips-recommended-steps-after-activ/

The post Como usar o CloudFlare no Cpanel appeared first on Zocka.

]]>
O CloudFlare é um serviço de CDN que faz cache dos seus dados e e distribui esse cache em vários servidores, com isso melhora o desempenho do servidor e aumenta o desempenho dos sites. Com o CloudFlare ativo os sites podem ter uma melhora no desempenho de 30%, além disso, utilizando o CloudFlare o trafego do site pode ser filtrado, diminuindo o consumo de recursos por redes e computadores zumbis…

Como ativar o CloudFlare no Cpanel com Tema Paper_lanter

1 – Acesse o cpanel da conta desejada

2 – Navegue até a categoria software e clique no icone “CloudFlare”

3 – Na tela seguinte, você poderá fazer login (caso já tenha cadastro no CloudFlare) e se não tiver cadastro, basta clicar no link “Sign Up”

Se você precisar fazer o cadastro é bem rápido, vai precisar apenas informar uma conta de email e senha…Se já tiver um cadastro, basta informar o email e senha e pronto.

4 – Após fazer login, você deve ativar o CloudFlare clicando no botão “Provision Domain With CNAME Setup”

5 – Depois que ativar o CloudFlare, ele já configura a zona de dns, recomendamos que ative a opção “Enable I’am Under Attack Mode”, isso deve filtrar eventuais ataques e diminuir o consumo excessivo de recursos do site.

Após 24 horas ativado, você poderá verificar as estatísticas de acesso.

Poderá obter mais informações sobre o uso do CloudFlare nesse Link (Em inglês):

https://blog.cloudflare.com/cloudflare-tips-recommended-steps-after-activ/

The post Como usar o CloudFlare no Cpanel appeared first on Zocka.

]]>
Revenda de Hospedagem quais os beneficios? http://www.zocka.com.br/2016/12/revenda-de-hospedagem-quais-os-beneficios/ Tue, 13 Dec 2016 04:00:10 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1742 Uma dúvida muito comum para quem precisa hospedagem multiplos sites é saber se realmente vale a pena contratar uma revenda de hospedagem compartilhada. Nessa publicação, vamos colocar alguns beneficios desse serviço e com isso, poderá avaliar se esse serviço pode atender sua necessidade e expectativa. No exemplo que vamos colocar aqui nessa publicação, estamos utilizando como base o serviço que prestamos. Se você vai hospedar mais de um site, o painel WHM é bem simples e intuitivo de ser utilizado, tem tradução oficial em português e tem integração com os principais gerenciadores financeiros de hospedagem. As ferramentas de gerenciamento de ccontas é completa, poderá criar, suspender, reativar e remover contas de forma bastante intuitiva. Como o cpanel é um dos paineis de hospedagem mais utilizado no mundo, o suporte é o ponto forte desse painel…Consequentemente o cliente final terá um painel completo e ficará satisfeito com suas funcionalidades. Justamente devido sua popularidade, além das funções básicas, a revenda com cpanel, possui uma comunidade expressiva e com isso, existem muitos addons que ajudam a turbinar a revenda de hospedagem. Como parte dessas soluções adicionais são pagas, a revenda de hospedagem torna-se uma vantagem para várias situações justamente devido o pacote de recursos que o usuário terá disponível pagando um valor relativamente baixo. Em nossa revenda de hospedagem por exemplo, temos um sistema de segurança adicional que faz varredura em tempo real de arquivos enviados via CGI ou FTP, com isso, diminuímos o numero de sites explorados de forma significativamente. Um firewall desenvolvido por terceiros, também faz um trabalho excepcional, bloqueando acessos não autorizados após um numero específico de tentativas de acessos a contas de emails, cpanel, ftp e acesso SSH Com isso e com a ferramenta de segurança adicional, nossos servidores não tem contas transformadas em zumbis, onde uma vez infectado, passa a enviar spam e/ou infecta outras contas…Esse comportamento sobrecarrega o servidor, coloca o ip em rbl e a partir dai o servidor passa a ter diversos problemas como problemas de envio de emails, problemas nas entregas dos emails, site offline e problemas de exploração constantemente… A maior vantagem de servidores monitorados por profissionais capacitados é que hoje, a revenda de hospedagem pode ser utilizada por pessoas com pouco conhecimento técnico, prova disso, está em um outro addon que permite a instalação de app com poucos cliques, permite a instalação de gerenciadores de conteúdo, cmd, foruns, sistemas de classificados, lojas virtuais, e diversos outros scripts sem precisar entender de banco de dados… O serviço de email do servidor de revenda de hospedagem, é que o serviço de email tem recursos profissionais, ferramenta anti-spam, filtros e diversas outras ferramentas que possibilita a utilização de emails de forma profissional e com um monitoramento rígido do servidor, não existem problemas de inclusão do ip em rbl, não existem problemas de entrega dos emails nos principais provedores de emails que existem hoje. O painel de hospedagem cpanel em um servidor de revenda, permite vários ajustes, pois trata-se de um painel completo e com ferramentas de uso profissional, como exemplo é possível redirecionar links, administrar emails de forma completa, gerenciar arquivos com ferramenta de compactação e descompactação, ferramentas avançadas de zona de dns, agendamento de tarefas com cronjob, instalação de scripts com poucos cliques, ferramenta anti-virus, gerenciamento de certificado SSL, ferramentas de segurança para proteção de diretorios e imagens… A outra questão que faz a revenda de hospedagem ter mais benefícios que um servidor vps, está na questão do monitoramento, supondo que o serviço seja contratado em uma empresa qualificada, o servidor tem monitoramento e isso permite que você não tenha a necessidade constante de ficar verificando o status do servidor. Tem também a questão do backup, com a experiencia que adquirimos ao longo dos anos, realizamos backups internamente e externamente para manter redundância dos dados…ainda sim, sempre recomendamos aos clientes que mantenha uma cópia do backup e guarde em seu computador ou em outro local diferente do servidor onde está o site. Esses são alguns dos detalhes que faz o servidor de revenda de hospedagem mais interessante que um servidor vps.

The post Revenda de Hospedagem quais os beneficios? appeared first on Zocka.

]]>
Uma dúvida muito comum para quem precisa hospedagem multiplos sites é saber se realmente vale a pena contratar uma revenda de hospedagem compartilhada.

Nessa publicação, vamos colocar alguns beneficios desse serviço e com isso, poderá avaliar se esse serviço pode atender sua necessidade e expectativa.

No exemplo que vamos colocar aqui nessa publicação, estamos utilizando como base o serviço que prestamos.

Se você vai hospedar mais de um site, o painel WHM é bem simples e intuitivo de ser utilizado, tem tradução oficial em português e tem integração com os principais gerenciadores financeiros de hospedagem.

As ferramentas de gerenciamento de ccontas é completa, poderá criar, suspender, reativar e remover contas de forma bastante intuitiva.

Como o cpanel é um dos paineis de hospedagem mais utilizado no mundo, o suporte é o ponto forte desse painel…Consequentemente o cliente final terá um painel completo e ficará satisfeito com suas funcionalidades.

Justamente devido sua popularidade, além das funções básicas, a revenda com cpanel, possui uma comunidade expressiva e com isso, existem muitos addons que ajudam a turbinar a revenda de hospedagem.

Como parte dessas soluções adicionais são pagas, a revenda de hospedagem torna-se uma vantagem para várias situações justamente devido o pacote de recursos que o usuário terá disponível pagando um valor relativamente baixo.

Em nossa revenda de hospedagem por exemplo, temos um sistema de segurança adicional que faz varredura em tempo real de arquivos enviados via CGI ou FTP, com isso, diminuímos o numero de sites explorados de forma significativamente.

Um firewall desenvolvido por terceiros, também faz um trabalho excepcional, bloqueando acessos não autorizados após um numero específico de tentativas de acessos a contas de emails, cpanel, ftp e acesso SSH

Com isso e com a ferramenta de segurança adicional, nossos servidores não tem contas transformadas em zumbis, onde uma vez infectado, passa a enviar spam e/ou infecta outras contas…Esse comportamento sobrecarrega o servidor, coloca o ip em rbl e a partir dai o servidor passa a ter diversos problemas como problemas de envio de emails, problemas nas entregas dos emails, site offline e problemas de exploração constantemente…

A maior vantagem de servidores monitorados por profissionais capacitados é que hoje, a revenda de hospedagem pode ser utilizada por pessoas com pouco conhecimento técnico, prova disso, está em um outro addon que permite a instalação de app com poucos cliques, permite a instalação de gerenciadores de conteúdo, cmd, foruns, sistemas de classificados, lojas virtuais, e diversos outros scripts sem precisar entender de banco de dados…

O serviço de email do servidor de revenda de hospedagem, é que o serviço de email tem recursos profissionais, ferramenta anti-spam, filtros e diversas outras ferramentas que possibilita a utilização de emails de forma profissional e com um monitoramento rígido do servidor, não existem problemas de inclusão do ip em rbl, não existem problemas de entrega dos emails nos principais provedores de emails que existem hoje.

O painel de hospedagem cpanel em um servidor de revenda, permite vários ajustes, pois trata-se de um painel completo e com ferramentas de uso profissional, como exemplo é possível redirecionar links, administrar emails de forma completa, gerenciar arquivos com ferramenta de compactação e descompactação, ferramentas avançadas de zona de dns, agendamento de tarefas com cronjob, instalação de scripts com poucos cliques, ferramenta anti-virus, gerenciamento de certificado SSL, ferramentas de segurança para proteção de diretorios e imagens…

A outra questão que faz a revenda de hospedagem ter mais benefícios que um servidor vps, está na questão do monitoramento, supondo que o serviço seja contratado em uma empresa qualificada, o servidor tem monitoramento e isso permite que você não tenha a necessidade constante de ficar verificando o status do servidor.

Tem também a questão do backup, com a experiencia que adquirimos ao longo dos anos, realizamos backups internamente e externamente para manter redundância dos dados…ainda sim, sempre recomendamos aos clientes que mantenha uma cópia do backup e guarde em seu computador ou em outro local diferente do servidor onde está o site.

Esses são alguns dos detalhes que faz o servidor de revenda de hospedagem mais interessante que um servidor vps.

The post Revenda de Hospedagem quais os beneficios? appeared first on Zocka.

]]>
Resolvendo problemas de ataque no wordpress http://www.zocka.com.br/2016/11/resolver-problemas-de-ataques-ao-wordpress/ Thu, 01 Dec 2016 02:43:46 +0000 http://www.zocka.com.br/?p=1735 Segue abaixo algumas sugestões para resolução de problemas comuns relacionados ao WordPress, principalmente em ambiente compartilhado. Ao contrário dos hacks que se concentram em vulnerabilidades no software, um ataque de força bruta visa ser o método mais simples de acesso a um site: ele tenta nomes de usuário e senhas, repetidamente, até conseguir o acesso. Muitas vezes eles podem ser muito bem sucedidos, quando o usuário utiliza senhas fáceis como essa por exemplo ‘123456’ e nomes de usuários como ‘admin’. Esse é um tipo de ataque ao elo mais fraco da segurança de qualquer site: Você! Devido à natureza desses ataques, seu site passará a consumir muitos recursos do servidor (principalmente consumo de memória), causando problemas de desempenho. Isso ocorre porque o número de solicitações HTTP (que é o número de vezes que alguém visita seu site) é tão alto que o servidor acaba ficando comprometido por falta de recursos… Este tipo de ataque não ocorre somente no WordPress, acontece com vários scripts, mas o WordPress é muito popular e por esse motivo, tem ataques mais frequentes… Abaixo, seguem algumas sugestões para ajudar a proteger o wordpresse resolver problemas comuns Um ponto de ataque comum no WordPress está relacionado a ataques de força bruta direcionados ao arquivo wp-login.php, são feitas muitas tentativas de acesso a força bruta simultâneas, com isso, são geradas diversas requisições do arquivo, consequentemente o servidor perde desempenho ou até fica indisponível devido a falta de recursos. Você pode fazer algumas coisas para se proteger.   Não use o nome de usuário ‘admin’ A maioria dos ataques são direcionadas para o usuário ‘admin’ devido ao fato de que as primeiras versões do WordPress por padrão, sugeria o esse usuário. Se você ainda estiver usando esse nome de usuário, faça uma nova conta, transfira todas as postagens para essa conta e altere ‘admin’ para um novo usuário (ou exclua o usuário admin). Como sugestão, poderá instalar um plugin para auxiliar nessa questão: https://wordpress.org/plugins/admin-renamer-extended/   Utilize Senha Complexa (Senha forte) O objetivo da senha é tornar difícil de adivinhar e difícil para um ataque de força bruta. Muitos geradores de senha automáticos estão disponíveis, que podem ser usados para criar senhas seguras. O WordPress também possui um medidor de força de senha que é mostrado ao alterar sua senha no WordPress. Use isso ao alterar sua senha para garantir que sua força é adequada.   Protegendo o arquivo wp-login.php de ataques Um dos ataques mais comuns de força bruta no wordpress está direcionado ao arquivo wp-login.php, nossa sugestão é que utilize um plugin para resolver essa questão, como esse por exemplo: https://br.wordpress.org/plugins/wp-login-attempt-log/ Ou poderá ver outras sugestões para resolver esse problema no link abaixo: https://codex.wordpress.org/Brute_Force_Attacks#Password_Protect_wp-login.php   Resolvendo problema de ataque ao arquivo admin-ajax.php Se o seu WordPress está recebendo um ataque no arquivo admin-ajax.php, como opção para resolver o problema de sobrecarga causado pela API Heartbeat, é possível desativar ela por completo ou então aumentar o tempo de comunicação que ela efetua. Esse procedimento deverá resolver o problema de ataque ai admin-ajax.php É possivel fazer essa correção utilizando um plugin, por exemplo: https://br.wordpress.org/plugins/heartbeat-control/ Ao instalar ele, é preciso configurar ainda, segue um passo-a-passo: 1. Vá até: Configurações >> Heartbeat Control 2. Na opção “Control heartbeat locations:”, escolha se você quer desativar a API Heartbeat por completo (“Disable everywhere”), desativar apenas na página de administração (“Disable on dashboard page”), permitir apenas na edição de posts (“Allow only on post edit pages”) ou manter como é por padrão (“Use default”). Inicialmente, sugiro que escolha a opção pra desativar por completo, de maneira a diminuir o consumo de recursos desta conta e só deixe de usar ela se tiver algum problema, especialmente com algum plugin instalado, pois alguns poucos usam a API Heartbeat 3. Na opção “Override heartbeat frequency:” escolha o tempo de frequência que a API Heartbeat irá efetuar requisições no servidor. O padrão é a cada 15 segundos, o ideal é deixar no maior tempo possível e verificar se o senhor não tem problemas, principalmente na edição de posts. 4. Clique em “Salvar alterações” para que o plugin entre em ação. ATENÇÃO: Mesmo sendo relativamente seguro, utilize este plugin com cautela, pois existem outros plugins que fazem uso da função API Heartbeat. Ao desativar a função, fique ciente também que alguns recursos do WordPress deixam de funcionar, como o auto salvamento de posts.   Resolvendo taques ao arquivo xmlrpc.php O arquivo xmlrpc.php esta relaciona a API que permite publicar posts, comentários e compartilhamentos por exemplo a partir de aplicativos externos, incluindo o app oficial do WP para Android e iOS. Se você não faz uso desse tipo de acesso externo ou faz com pouca frequência, considere bloquear o acesso dele, poderá ter melhor desempenho em seu site fazendo isso. Uma sugestão, é acrescentar ao .htaccess do seu site o seguinte código. <Files xmlrpc.php> order deny,allow deny from all </Files> Quando precisar usar, poderá comentar as linhas ou simplesmente apagar esse código temporariamente.   Resolvendo consumo excessivo do arquivo wp-cron.php O arquivo wp-cron basicamente realiza tarefas como posts programados, newsletters ou backups por exemplo, fazendo atualizações no conteúdo do site. Sendo assim ele utiliza um script próprio chamado “wp-cron.php”. Nem todo mundo precisa que esse arquivo seja requisitado a todo instante, sendo assim, se o wp-cron.php está consumindo muitos recursos, ou se não é utilizado, poderá desativá-lo e ativar no cron do cpanel por exemplo. Editar o arquivo “wp-config.php” na raiz da instalação do seu WordPress // wp-cron desativado define(‘DISABLE_WP_CRON’, true); Depois acessar o cPanel da conta e clicar no link “Tarefas Cron” Na parte “Adicionar Novo Trabalho Cron”, em “Definições Comuns:” escolher dentre os períodos previamente configurados, que diz exatamente quando o arquivo irá rodar. Se preferir, poderá configurar manualmente nos campos: “Minuto: Hora: Dia: Mês: Dia útil:” DICA: Rodar o script wp-cron.php cerca de uma vez por dia é o suficiente. 4. No campo “Comando:”, digitar: /usr/bin/php -f /home/USUÁRIO/public_html/”se utiliza o wordpress em uma pasta, deverá colocar o caminho completo onde está o arquivo wp-cron.php” >/dev/null OBS: Adicionar “>/dev/null” ao final do comando que deseja agendar no cronjob, evita que o servidor faça envio de emails desnecessários, recomendamos que sempre utilize.

The post Resolvendo problemas de ataque no wordpress appeared first on Zocka.

]]>
Segue abaixo algumas sugestões para resolução de problemas comuns relacionados ao WordPress, principalmente em ambiente compartilhado.

Ao contrário dos hacks que se concentram em vulnerabilidades no software, um ataque de força bruta visa ser o método mais simples de acesso a um site: ele tenta nomes de usuário e senhas, repetidamente, até conseguir o acesso. Muitas vezes eles podem ser muito bem sucedidos, quando o usuário utiliza senhas fáceis como essa por exemplo ‘123456’ e nomes de usuários como ‘admin’.

Esse é um tipo de ataque ao elo mais fraco da segurança de qualquer site: Você!

Devido à natureza desses ataques, seu site passará a consumir muitos recursos do servidor (principalmente consumo de memória), causando problemas de desempenho. Isso ocorre porque o número de solicitações HTTP (que é o número de vezes que alguém visita seu site) é tão alto que o servidor acaba ficando comprometido por falta de recursos…

Este tipo de ataque não ocorre somente no WordPress, acontece com vários scripts, mas o WordPress é muito popular e por esse motivo, tem ataques mais frequentes…

Abaixo, seguem algumas sugestões para ajudar a proteger o wordpresse resolver problemas comuns

Um ponto de ataque comum no WordPress está relacionado a ataques de força bruta direcionados ao arquivo wp-login.php, são feitas muitas tentativas de acesso a força bruta simultâneas, com isso, são geradas diversas requisições do arquivo, consequentemente o servidor perde desempenho ou até fica indisponível devido a falta de recursos. Você pode fazer algumas coisas para se proteger.

 

Não use o nome de usuário ‘admin’
A maioria dos ataques são direcionadas para o usuário ‘admin’ devido ao fato de que as primeiras versões do WordPress por padrão, sugeria o esse usuário. Se você ainda estiver usando esse nome de usuário, faça uma nova conta, transfira todas as postagens para essa conta e altere ‘admin’ para um novo usuário (ou exclua o usuário admin).

Como sugestão, poderá instalar um plugin para auxiliar nessa questão:

https://wordpress.org/plugins/admin-renamer-extended/

 

Utilize Senha Complexa (Senha forte)
O objetivo da senha é tornar difícil de adivinhar e difícil para um ataque de força bruta. Muitos geradores de senha automáticos estão disponíveis, que podem ser usados para criar senhas seguras.

O WordPress também possui um medidor de força de senha que é mostrado ao alterar sua senha no WordPress. Use isso ao alterar sua senha para garantir que sua força é adequada.

 

Protegendo o arquivo wp-login.php de ataques
Um dos ataques mais comuns de força bruta no wordpress está direcionado ao arquivo wp-login.php, nossa sugestão é que utilize um plugin para resolver essa questão, como esse por exemplo:

https://br.wordpress.org/plugins/wp-login-attempt-log/

Ou poderá ver outras sugestões para resolver esse problema no link abaixo:

https://codex.wordpress.org/Brute_Force_Attacks#Password_Protect_wp-login.php

 

Resolvendo problema de ataque ao arquivo admin-ajax.php
Se o seu WordPress está recebendo um ataque no arquivo admin-ajax.php, como opção para resolver o problema de sobrecarga causado pela API Heartbeat, é possível desativar ela por completo ou então aumentar o tempo de comunicação que ela efetua. Esse procedimento deverá resolver o problema de ataque ai admin-ajax.php

É possivel fazer essa correção utilizando um plugin, por exemplo:

https://br.wordpress.org/plugins/heartbeat-control/
Ao instalar ele, é preciso configurar ainda, segue um passo-a-passo:

1. Vá até: Configurações >> Heartbeat Control

2. Na opção “Control heartbeat locations:”, escolha se você quer desativar a API Heartbeat por completo (“Disable everywhere”), desativar apenas na página de administração (“Disable on dashboard page”), permitir apenas na edição de posts (“Allow only on post edit pages”) ou manter como é por padrão (“Use default”). Inicialmente, sugiro que escolha a opção pra desativar por completo, de maneira a diminuir o consumo de recursos desta conta e só deixe de usar ela se tiver algum problema, especialmente com algum plugin instalado, pois alguns poucos usam a API Heartbeat

3. Na opção “Override heartbeat frequency:” escolha o tempo de frequência que a API Heartbeat irá efetuar requisições no servidor. O padrão é a cada 15 segundos, o ideal é deixar no maior tempo possível e verificar se o senhor não tem problemas, principalmente na edição de posts.

4. Clique em “Salvar alterações” para que o plugin entre em ação.

ATENÇÃO: Mesmo sendo relativamente seguro, utilize este plugin com cautela, pois existem outros plugins que fazem uso da função API Heartbeat. Ao desativar a função, fique ciente também que alguns recursos do WordPress deixam de funcionar, como o auto salvamento de posts.

 

Resolvendo taques ao arquivo xmlrpc.php
O arquivo xmlrpc.php esta relaciona a API que permite publicar posts, comentários e compartilhamentos por exemplo a partir de aplicativos externos, incluindo o app oficial do WP para Android e iOS.

Se você não faz uso desse tipo de acesso externo ou faz com pouca frequência, considere bloquear o acesso dele, poderá ter melhor desempenho em seu site fazendo isso.

Uma sugestão, é acrescentar ao .htaccess do seu site o seguinte código.

<Files xmlrpc.php>
order deny,allow
deny from all
</Files>

Quando precisar usar, poderá comentar as linhas ou simplesmente apagar esse código temporariamente.

 

Resolvendo consumo excessivo do arquivo wp-cron.php
O arquivo wp-cron basicamente realiza tarefas como posts programados, newsletters ou backups por exemplo, fazendo atualizações no conteúdo do site.
Sendo assim ele utiliza um script próprio chamado “wp-cron.php”.

Nem todo mundo precisa que esse arquivo seja requisitado a todo instante, sendo assim, se o wp-cron.php está consumindo muitos recursos, ou se não é utilizado, poderá desativá-lo e ativar no cron do cpanel por exemplo.

Editar o arquivo “wp-config.php” na raiz da instalação do seu WordPress

// wp-cron desativado
define(‘DISABLE_WP_CRON’, true);

Depois acessar o cPanel da conta e clicar no link “Tarefas Cron”

Na parte “Adicionar Novo Trabalho Cron”, em “Definições Comuns:” escolher dentre os períodos previamente configurados, que diz exatamente quando o arquivo irá rodar. Se preferir, poderá configurar manualmente nos campos:

“Minuto:
Hora:
Dia:
Mês:
Dia útil:”

DICA: Rodar o script wp-cron.php cerca de uma vez por dia é o suficiente.

4. No campo “Comando:”, digitar:

/usr/bin/php -f /home/USUÁRIO/public_html/”se utiliza o wordpress em uma pasta, deverá colocar o caminho completo onde está o arquivo wp-cron.php” >/dev/null

OBS: Adicionar “>/dev/null” ao final do comando que deseja agendar no cronjob, evita que o servidor faça envio de emails desnecessários, recomendamos que sempre utilize.

The post Resolvendo problemas de ataque no wordpress appeared first on Zocka.

]]>